Home  | Notícias  | Expediente 

02 de Setembro de 2018 - 20:17

BBCA ensaia retomada, assina repactuação e se compromete a investir R$ 2,9 bilhões




 

Reclamações e insatisfação marcaram a paralisação da instalação da BBCA em Maracaju, mas ao que tudo indica os chineses ensaiam a retomada dos investimentos. Nesta semana, o grupo assinou repactuação do termo de incentivo fiscal mantido com o governo do Estado, no qual se compromete a investir R$ 2,9 bilhões na cidade, sendo R$ 400 milhões inicialmente em 2019, para iniciar a operação em 2020. O número de empregos gerados deve chegar a 1.500.

A proposta da esmagadora foi uma das 40 analisadas nesta semana durante o Fórum MS Indústria, que avaliou a revalidação de incentivos fiscais de empresas instaladas em Mato Grosso do Sul e que aderiram ao Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Econômico e Equilíbrio Fiscal do Estado (Fadefe). No total, 35 empresas se comprometeram a criar 2.154 empregos e investir R$ 4,2 bilhões em 18 municípios do Estado.

Para ter o termo de adesão revalidado, a empresa apresentou cronograma de entrega de cada etapa das obras do complexo industrial – a última delas deve entrar em operação ao fim de quatro anos, segundo informações da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro).

“Hoje, existe um compromisso de que até o fim de 2019 eles vão investir R$ 400 milhões. Considerando o que eles já investiram, eu acredito que seja em torno de R$ 150 milhões, eles assumiram colocar a primeira planta em operação no início de 2020 e construir em 2019 essa primeira planta. Então, a cada ano eles acrescentam uma planta, até chegar ao fim, em quatro anos, [conforme] eles se propuseram”, explicou o secretário Jaime Verruck.

Cada etapa passará por monitoramento permanente, a ser realizado pelo governo do Estado, e também deverá ter acompanhamento da prefeitura de Maracaju, que cedeu área de 70 hectares para o grupo. “Em janeiro, será realizado o primeiro monitoramento”, informou.

Demora - O projeto da BBCA em Maracaju se arrasta desde 2013, quando a empresa visitou e confirmou que a cidade receberia o empreendimento. O lançamento oficial da construção da indústria se deu dois anos mais tarde. Atualmente, apenas dois armazéns, um barracão e 30 casas com 60 habitações para trabalhadores estão prontos no local. As vias de acesso ao complexo também estão finalizadas.

De acordo com o titular da Semagro, pesou para a concessão da repactuação do termo com a BBCA o impacto que o complexo industrial deve trazer para a cadeia produtiva do Estado. “É um empreendimento que interessa muito para a matriz do Estado. O nível de agregação que eles vão dar, a matéria-prima, é uma indústria que ainda é incipiente no País. No Estado, nós tem temos ainda uma indústria dessas. Então, para nós, é uma planta, do ponto de vista da diversificação do Estado, fundamental. Isso pesou e nós pressionamos para que eles fizessem o cronograma, assim poderemos fazer um monitoramento. É muito mais pelo interesse dessa indústria matriz para o Estado”, enfatizou.

Projeto - Em anúncios anteriores, a BBCA afirmou que a fábrica de Maracaju será uma unidade industrial química a partir do processamento do milho e da cogeração de energia.

Além de 1,2 milhão de toneladas de milho, o projeto prevê a capacidade de produção anual de 150 mil toneladas de ácido cítrico, 60 mil toneladas de xarope de maltose, 300 mil toneladas de amido de milho, 60 mil toneladas de dextrose cristalina, 150 mil toneladas de lisina e outros subprodutos relacionados. A capacidade levará a chinesa ao topo da produção mundial de ácido cítrico, além de consolidar o grupo como um dos maiores produtores de vitaminas A, B, C e E.

Em uma próxima etapa, os chineses projetam processar 1 milhão de toneladas de soja por ano, bem como 170 mil toneladas de óleo de soja e 810 mil toneladas de pasta de feijão. (Com informações do Correio do Estado)

Luiz Ribeiro – Noticidade 


principal  |  imprimir

Plantão

.
22/01/2019 - 19:10  Epidemia: Com lixo em toda parte, Sidrolândia já lidera ranking da Dengue no Estado
22/01/2019 - 15:42  Secretaria de Segurança intensifica ações na fronteira do Brasil com o Paraguai
22/01/2019 - 15:16  Assembleia devolve R$ 11 milhões e Estado vai aplicar em Hospitais
22/01/2019 - 15:00  UEMS abre vagas para Administração e Pedagogia em Maracaju
22/01/2019 - 14:38  Desafio Internacional de Futevolei reunirá melhores do Mundo em Maracaju
22/01/2019 - 13:46  TJ condena banco por contratação indevida de empréstimo em Sidrolândia
22/01/2019 - 13:09  Vereadores recorrem ao Ministério Público para cobrar Energisa sobre tarifas
22/01/2019 - 12:41  Em Sidrolândia, familiares buscam por idosa que saiu para fazer caminhada e desapareceu
21/01/2019 - 00:34  Vereador Robert Ziemann cobra limpeza e fiscalização de terrenos baldios
21/01/2019 - 00:19  Presidente da Câmara vai formar comissão para cobrar Sanesul e Energisa
20/01/2019 - 23:19  Sobre Enelvo Felini, governador diz que vai ajudar tucano a se eleger prefeito de Sidrolândia
20/01/2019 - 22:46  Sem justificativa, moradores sofrem com alta nas tarifas de energia elétrica
20/01/2019 - 22:22  Absurdo: Em Sidrolândia, moradores completam mais de 48 horas sem água
20/01/2019 - 21:05  Rincão Agrícola realiza nesta terça-feira, “Dia de Campo” e convida produtores
19/01/2019 - 10:21  População reclama de falta de água em pleno sábado em Sidrolândia
18/01/2019 - 14:26  Homem é preso com cinco espingardas na região de Maracaju
18/01/2019 - 14:09  Com Sebrae, Prefeitura de Maracaju quer fortalecer empreendedorismo
18/01/2019 - 10:40  Orçada em R$ 8,6 milhões, estação de esgoto de Maracaju é uma das mais modernas
18/01/2019 - 09:52  Cantora revelação nacional, Lauana Prado se apresenta em Sidrolândia hoje
17/01/2019 - 16:35  Com lixo em terrenos, cresce número de notificações de dengue na cidade
 
 











 

 




Contato:(067) 9 9658 0765
Email: jornalnoticidade@hotmail.com

© 2019 MD-webmarketing - Todos os direitos reservados